Daemons

Daemons

Daemons

Daemons

Salve aventureiros!
Trago para vocês uma nova raça para suas campanhas. Os profanos Daemons!
(Baseado visualmente nos Tiefling de D&D)
Alerta do Autor para os Narradores:
Essa raça pode trazer algum desequilíbrio para sua mesa, portanto, narrador, sinta-se à vontade para usa-la como bem entender, modificando as regras ou qualquer outra coisa de acordo com sua campanha. E se achar também que essa raça é muito “Over Power”, use-a como NPC e toque o terror em seus jogadores.
Enfim, a palavra final é sua.

Daemon Arqueiro

 

Daemons

Os Daemons são híbridos da união entre demônios e mulheres humanas. Chamados também de infernais ou mestiços, essa raça é rara e possui suas peculiaridades. Isso faz com que sejam alvos de caçadores de recompensas, mercenários, paladinos e etc.

Daemons sempre serão órfãos. As mulheres humanas sempre morrem ao dar à luz a essa raça. Eles nascem como humanos normais, mas, a partir da primeira semana de vida começam a apresentar características de seus pais demônios. Chifres e caudas são os mais comuns, mas alguns desenvolvem pele escamosa, presas, patas caprinas e outros “adereços”. Por serem seres parte demoníacos, os Daemons são imunes a fogo, seja ele natural ou magico (exceto sopro de dragão). Em compensação, recebem dano adicional por armas ou itens mágicos de alinhamento “ordeiro” (+2 por nível do atacante). Devido à natureza de seus pais, essa raça é de alinhamento exclusivamente caótico. E essa personalidade é tão forte, que faz com que os Daemons sempre tentem corromper alguém, ou instigar uma pessoa a fazer algo caótico (ou mal).

dba41b0e19e4d9d94006a50e5d7c2355 tiefling_mage
download

 

Temor
Devido a sua aparência demoníaca os Daemons podem causar um medo irracional em seus adversários. Eles ganham +3 em iniciativa na hora do combate (esse bônus não se aplica contra a raça Celestinos ou contra a classe Clérigo).
Uma observação importante é que os Daemons não são necessariamente feios. Aqueles que possuem um valor alto de carisma podem ser extremamente belos (apesar das partes demoníacas).

 

Daemon  Daemon Arqueiro  250px-Lavender_Lil

 

Possessão 

Um Daemon experiente pode possuir o corpo de uma pessoa ou criatura do seu tamanho ou menor. Ele precisa se concentrar por um turno enquanto fixa os olhos no seu alvo. Durante a possessão o corpo do Daemon fica totalmente vulnerável. Seu corpo fica em pé, imóvel e se receber qualquer tipo de dano o elo se quebra e a possessão termina.

Ao possuir um corpo, um Daemon sofre a dor que o possuído sente. Exemplo: O Daemon pode possuir o corpo de um Orc. Enquanto estiver no corpo da criatura, pode fazer com que o Orc pegue seu punhal e crave em seu coração num “suicídio” instantâneo. Ao fazer isso o Daemon sente a dor da morte e volta para seu corpo. Ele ficará atordoado por 1d6 turnos. Durante o atordoamento sua CA e seu deslocamento são reduzidos em 5. Um Daemon atordoado não poderá atacar ou usar magia.
A possessão é temporária (veja adiante).

 

tiefling_by_etoli-d3f180z  Tiefling

 

Daemons em jogo:

Alinhamento: Caótico
Altura: 1,70 a 2,05
Maturidade: 60 anos (Expectativa de vida 300 anos)
Bônus de atributo: + 2 em Constituição.
Movimento base: 9 Metros

Daemons conseguem enxergar perfeitamente na penumbra.

Temor: +3 em testes de iniciativa (esse bônus não se aplica contra a raça Celestinos ou contra a classe Clérigo)

Possessão: A partir do nível 10, uma vez por dia, o Daemon pode possuir o corpo de uma criatura do seu tamanho ou menor. A possessão dura 1d6 + nível de acordo com a tabela abaixo.

Velocidade: A partir do nível 10 o personagem ganha ataques extras de acordo com a tabela:

Força: A partir do nível 10 o personagem ganha um bônus de força de acordo com a tabela abaixo:

NIVEL DURAÇÃO ATAQUES BONUS DE FOR
10 1d6+1 Turno +1 +1
15 1d6+2 Turno +2 +2
20 1d6+3 Turno +3 +3

 

Daemon Arqueiro

 

 

Observação Importante:
Assim como existem os Daemons, existem também seus opostos: Os Celestinos (Confira os post anteriores). Ao contrário do que muitos pensam, eles não são “inimigos naturais”, embora também não sejam “amigos”. Eles compreendem suas origens e conseguem, com esforço mutuo, conviver em paz durante a aventura. Lógico que haverá alguns “puxões de orelha” ou “escárnio” de suas respectivas partes, mas o lado humano dessa raça sempre tende a trabalhar em prol do objetivo em comum.

 


Rafael Alves

Jogador/Mestre/escritor de RPG. Co-fundador da Associação Cultural Ethernalys.

Posts Recentes: