O Coveiro

O Coveiro

O Coveiro

O Coveiro

Saudações aos amigos do Moostache! Mais uma colaboração especial aqui no curral mais idolatrado da Internet! E dessa vez trazemos um vilão diferente que pode ser usado nas suas campanhas de Old Dragon. Mas, vamos deixar o autor Alexandre Lima, contar um pouco mais sobre sua belíssima contribuição! Espero que gostem!


Saudações, aventureiro!

Neste artigo, apresento-lhe um artefato mágico para ser usado como um vilão na sua campanha. É um personagem recorrente que vem amadurecendo em minhas aventuras desde a época do D&D 3.0 e já passou por outros sistemas, como Tormenta RPG e Advanced Fighting Fantasy 2nd Edition, sempre cumprindo muito bem o seu papel. Agora ele vem causando grandes prejuízos (no bom sentido) no meu grupo no Old Dragon e pode ser o próximo antagonista que você vai enfrentar!

O COVEIRO

Também conhecido como Anel Sepulcral, o Coveiro é um artefato na forma de um anel de prata com três pedras negras engastadas. Foi criado por Maec, o Senhor da Decadência, deus da morte e da entropia, para abrigar a alma negra de seu sumo-sacerdote Gaudax, o Abominável, que assolou a região há mais de trezentos anos, tornando-o, assim, virtualmente imortal, para perpetuar os desígnios deste deus caótico no plano material.

O Coveiro não pode se comunicar com os vivos, a não ser através da voz ressequida de um cadáver que tenha animado. Ele pode criar e controlar mortos-vivos desprovidos de inteligência, como zumbis e esqueletos, à vontade e em qualquer quantidade, fazendo que ajam coordenadamente, como se tivessem uma mente coletiva.

Coveiro

Em relação aos mortos-vivos inteligentes, como vampiros ou liches, o Coveiro pode controlá-los como um clérigo (cultista) de vigésimo nível. E, assim como os cultistas, o anel também pode usar este poder contra criaturas ordeiras, afastando-as ou destruindo-as como um clérigo de vigésimo nível faria com mortos-vivos.

O Anel Sepulcral precisa assumir um corpo qualquer que tenha animado para poder interagir com o mundo. Quando esse corpo é destruído ou atinge tal estado de putrefação que dificulte essa interação, o anel simplesmente passa para um cadáver mais recente. Esse corpo animado torna-se ressequido rapidamente e é conhecido entre as forças do Caos pela alcunha de Espantalho.

Pode lançar as seguintes magias divinas 3/dia, como um clérigo caótico de vigésimo nível: Detectar alinhamento, Purificar alimentos/Apodrecimento, Imobilizar pessoas, Convocar insetos, Curar doenças/Pestilência, Dissipar caos/ordem, Praga de insetos, Cura completa/Toque da morte.


Thiago Righetti

Começou no RPG em 1995, parou de jogar na época do D&D 3.5 e agora redescobriu os prazeres deste delicioso hobby graças ao Old Dragon.

Posts Recentes: