Quatro passos para criar locais interessantes

Quatro passos para criar locais interessantes

Quatro passos para criar locais interessantes

Quatro passos para criar locais interessantes

Salve pessoal, vamos falar hoje de alguns passos simples para criar locais interessantes em nossas aventuras.  Podemos criar alguns de antemão, sem definir onde exatamente eles ficam, e usá-los de acordo com a necessidade. Cidades, vilas e florestas são alguns dos locais “não dungeon” mais comuns de serem visitados pelos personagens, então vamos dar uma olhadinha nestes.

1- Nome
Sim, este passo é importante, e às vezes, pode dar preciosas dicas sobre como é o local. “Floresta da Destruição” não parece um local bacana de passar as férias, por exemplo, enquanto “Bosque Wooligan” não nos diz muito (a menos que “Wooligan” seja alguém em sua campanha). Nenhuma das formas está errada, pois depende muito do que queremos fazer com o local. Talvez a Floresta da Destruição seja um grande descampado, ou ainda, repleta de mortos vivos. Por outro lado, o Bosque Wooligan pode abrir um mal adormecido muito maior do que qualquer um possa imaginar! Use nome de pessoas, de eventos, cores, animais, e por ai vai. Não se prenda muito a essa parte, mas o grupo só levará o lugar a sério se o nome não destoar completamente (como “Vila das Bolachinhas de Morango”).

2- O que há para ser visitado/visto?
Uma gruta secreta, pedras lunares, uma guilda de aventureiros, o castelo subterrâneo de um mago. Algo tem que ser interessante, nem que seja “a pior refeição dos reinos”. Afinal, nem tudo tem que ser heroico, mas é interessante que seja memorável por algum motivo.
Armas boas/ruins, comida de péssima/ótima qualidade, cidadãos felizes/ranzinzas. Se os jogadores puderem vincular um sentimento ao local, então tem uma chance maior de lembrar dele (“lembra aquela cidade repleta de pássaros?” ou “e aquela vila, que parecia ser mais fria do que todos os outros lugares que já fomos?”).

3- O que há para ser feito?
Os famosos “ganchos” de missão. Nem tudo precisa ser grandioso, como derrotar o lorde do mal, ou roubar o maior rubi dos reinos. Talvez na cidade tenha uma boa casa de câmbio, ou uma cerveja impar. Quais coisas podem interessar ao grupo, de forma que eles queiram algum dia voltar (ou nunca mais voltar) ou local?

4-Quem mora lá?
Essa questão flerta um pouco com a anterior. Afinal, uma pessoa interessante pode ser algo memorável na vila/floresta/barragem. Contudo, essa pergunta ajuda a aprofundarmos um pouco mais e enriquecer nosso cenário. Um druida paranoico, um médico fracassado, uma guerreira que nunca perdeu, ou um anão mudo e sem barba podem ser memoráveis, seja para efeito cômico, dramático, ou mesmo para impressionar o grupo. O mesmo pode ser feito com animais, como uma matilha de lobos azuis, ou um monstro horrendo que devora apenas elfos.

 

Como podemos ver, alguns assuntos se cruzam, e não há nada de errado com isso. Você não precisa responder a tudo como se fosse um questionário, pois aqui temos apenas algumas sugestões para tornar os locais mais memoráveis e reconhecíveis aos jogadores. Aos poucos, o Mestre vai anotando e em breve terá uma bela relação de locais interessantes a serem visitados!


Rafael Beltrame é o encarregado de manter a ordem nos pastos RPGísticos. Nas horas vagas, fica desenhando bigodes nas vacas dos outros.

Posts Recentes: